Campolide,

Iluminar as pessoas em vez das ruas

  • Cabaz_001.jpg
  • Cabaz_002.jpg
  • Cabaz_003.jpg
  • Cabaz_004.jpg
  • Cabaz_005.jpg
  • Cabaz_006.jpg
  • Cabaz_007.jpg
  • Cabaz_008.jpg
  • Cabaz_009.jpg
  • Cabaz_010.jpg
  • Cabaz_011.jpg
  • Cabaz_012.jpg
  • Cabaz_013.jpg
  • Cabaz_014.jpg
  • Cabaz_015.jpg
  • Cabaz_016.jpg
  • Cabaz_017.jpg

 

A Junta de Freguesia de Campolide distribuiu, em Dezembro, 600 cabazes de Natal pelas famílias mais carenciadas.

Na memória de muitos de nós, 2014 ficará marcado como um ano de escassez. Dos que têm sorte, claro, pois outros há que têm a miséria deste ano marcada na carne. Ou nos olhos que se fizeram sombrios à custa de tanta pobreza.

O País está mais pobre. Os jovens não têm emprego, os trabalhadores viram os seus direitos subtraídos e os idosos estão cada vez mais desamparados. O Estado demite-se, todos os dias, das suas obrigações sociais. Se as nuvens negras passaram, como diz o Primeiro Ministro Passos Coelho, isso não se sentiu nos rostos das centenas de pessoas que fizeram fila no auditório da Junta de Freguesia de Campolide (JFC), num frio dia do mês de Dezembro, em busca de um cabaz que tornaria a sua consoada um pouco menos insuficiente.

O executivo da JFC trocou o esplendor das luzes de Natal por um saco com comida para cada família da freguesia, dele necessitada. Um gesto que dispensa palavras, mas que quase poderia ter estas: “Queremos pensar nos mais frágeis e vulneráveis: as crianças, os desempregados, os mais velhos...”, proferidas pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

O portal da JFC utiliza cookies de rastreamento anónimo para melhorar a navegação.