EDUCAR PARA COMER

Os maus hábitos alimentares praticados pela maioria das crianças da Escola Mestre Querubim Lapa, impulsionaram a elaboração de um projeto pela Junta de Freguesia de Campolide (JFC) no âmbito do programa internacional, Food Wave – Empowering Urban Youth for Climate Action, no qual foi o único selecionado a nível nacional e um dos seis a nível internacional. O projeto será implementado entre Setembro e Dezembro.

Texto: Diana Correia Cardoso

A alimentação saudável e sustentável é hoje um tema intimamente ligado às alterações climáticas. Para que haja um futuro melhor, a consciencialização deverá começar pelas novas gerações. É este o mote do programa internacional Food Wave coordenado pela organização ALDA (Association of Local Democracy Agencies) em colaboração com o Milan Urban Food Policy Pact, que apoia as ações desenvolvidas por autoridades locais de cidades e municípios, junto de jovens entre os 15 e os 35 anos, focadas no tópico do consumo alimentar e produção sustentável.

A JFC candidatou-se com o projeto Pedagogia verde: Aprender, Crescer e Viver Naturalmente, desenvolvido por Filipa Alegre, responsável pelas refeições das crianças na Escola Mestre Querubim Lapa, na área de atuação do pelouro de Educação da freguesia. Através do trabalho que tem vindo a realizar nesse instituto de ensino, percebeu que os alunos “não sabem comer, põem os legumes de lado no prato (…), trazem bolos para o pequeno-almoço ou até mesmo autênticas refeições”, comenta Filipa ao Notícias de Campolide. A razão para estes comportamentos reside no facto de “não existir educação de âmbito alimentar na escola”, pelo que isso teria de mudar.

Estas foram as razões que levaram à elaboração do projeto e à candidatura na segunda fase do programa, tendo sido selecionado em conjunto com os projetos vencedores de Vimianzo (Espanha), Budapeste (Hungria), Pollica (Itália), Palaio Faliro (Grécia) e Ploeuc L’Hermitage (França). Entre setembro e dezembro deste ano, as 265 crianças, distribuídas pelas 12 turmas da Escola Básica Mestre Querubim da Lapa têm a oportunidade de participar em 5 tipos de atividades, que têm como objetivo contribuir para uma maior responsabilidade e consciência relacionadas com a alimentação, a sustentabilidade ambiental, saúde e bem-estar.

As atividades são: a Eco-Cozinha, onde se falará sobre uma alimentação melhor aproveitada, tanto ao nível nutricional como de desperdício zero e métodos mais sustentáveis na aquisição de alimentos; a Eco-Jardinagem que consiste no desenvolvimento da horta pedagógica existente na escola, através da abordagem dos produtos sazonais e das hortas urbanas; a Eco-Snacks que passará pela apresentação de workshops relacionados com a alimentação saudável, ao nível de pequenos-almoços e lanches mais adequados, de uma forma divertida e criativa; a Eco-Herói, onde cada mês serão abordados os efeitos benéficos, de cada vegetal herói, ao nível da saúde e o seu impacto ambiental; e a Eco-Lab, que incidirá no desenvolvimento de soluções criativas sobre o consumo de água, através de desafios, pesquisa e aplicação de novas soluções ou outras já existentes.

Com este projeto espera-se “uma mudança gradual dos pequenos-almoços e lanches trazidos de casa, esperando que sejam nutricionalmente mais ricos e sustentáveis, uma diminuição no desperdício de água e uma maior responsabilidade no seu consumo”, diz a responsável. Ao longo do tempo “os hábitos adquiridos pelos estudantes e por toda a comunidade escolar, pais e professores, terão impacto nas suas vidas, que se irá refletir nas suas famílias e vizinhança”, conclui.

A Comissão Europeia co-financiará a implementação das atividades, que contam com a participação, da coordenadora, Professora Teresa André, do corpo docente e não-docente e da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Mestre Querubim Lapa. O projeto-piloto poderá ser implementado noutras escolas entre janeiro e julho de 2023.